Loading ...

Cultura: o motor da inovação!

Há algum tempo eu me interessei em pesquisar inovação, comecei a estudar sobre metodologias ágeis, UX e para chegar uma conclusão que hoje percebo ser bem obvia: O que move a inovação são as pessoas.

Depois de algum tempo de estudos percebi que a tecnologia não é uma ferramenta competitiva, pois ela está disponível para qualquer um basta poder pagar por ela, o que realmente diferencia uma empresa inovadora de outra é a cultura.

Agora tendo como exemplo uma das metodologias mais copiadas no mundo, a metodologia da Toyota que foi copiada amplamente por varias empresas de diversos segmentos de mercado, porém, nenhuma teve o desempenho que a Toyota teve ao longo dos anos, por qual motivo? Cultura!

Por definição cultura organizacional é:

Cultura organizacional é um conjunto de conceitos e hábitos, normas, crenças, rituais, valores e experiências que são responsáveis ​​por dar uma descrição específica para um determinado grupo.

Por analogia, a cultura pode ser comparada a um timão de um navio pois ela que dará a direção das decisões tomadas na empresa e é a única coisa que não pode ser copiada. Falando de uma cultura inovadora alguns paradigmas ainda permeiam o imaginário coletivo e pasmem não é necessário escorregador nem piscina de bolinhas para inovar.

De qualquer modo, há alguns padrões comum nas empresas com uma cultura inovadora, reuni alguns dos mais relevantes:

  • Espaço para a criação de novas ideias: Uma das peças fundamentais é permitir que o colaborador participe do processo, afinal nunca ser sabe de onde vai surgir uma nova boa ideia, todos tem que ter a sua voz ouvida tanto o estagiário como o CEO.
  •  Análise de Mercado:  Engana-se quem acredita que uma boa ideia surge ao acaso, essas empresas investem fortemente em análises de mercado que incluem ferramentas de analise de dados, novas ferramentas, benchmarking, comparação com concorrentes, sendo do mesmo segmento ou não.
  • Liderança por Exemplo: O perfil dos gestores tem uma função mais de orientar do que gerenciar as equipes.  Este perfil de liderança participa do processo, compartilha conhecimento e atua de forma engajada com a equipe.

“Elogie em público e corrija em particular. Um líder corrige sem ofender e orienta sem humilhar.” Mário Sergio Cortella.

  • Tenha Regras Claras mas não Engessadas: Ter um ambiente descontraído não é sinônimo que casa um faz o que quer. É necessário que haja boas práticas para que o ambiente de trabalho seja bom, as regras de convivência são claras e padrões definidos.
  • Erros são aprendizados: Em uma cultura inovadora os erros são vistos como oportunidade de aprendizado, contrariamente à nossa cultura que enxerga o erro como uma falha. Há uma máxima latente “erre bastante e erre rápido” a capacidade de correr riscos e tentar algo novo é algo novo, permite que os colaboradores não tenham medo de expor as suas ideias. “Feito é melhor que perfeito”.

“Eu não falhei. Apenas descobri 10 mil maneiras que não funcionam.” Thomas Edison

  • Foco no cliente: A interação é parte chave para a criação e novos produtos e soluções, o centro das discussões sempre tem a visão do cliente final e as ações ocorrem de forma colaborativa, o lucro é uma consequência deste relacionamento recíproco.

Faça um cliente, não uma venda. Katherine Barchetti

  •  Trabalhar duro não significa trabalhar melhor: Há um investimento massivo em novas tecnologias, novas metodologias de trabalho e ferramentas tecnológicas, isso faz com a produtividade dessas equipes seja alta. Porém, há um espaço dedicado ao “ócio criativo”, na Google por exemplo 20% da sua jornada pode ser destinada a projetos pessoais.
  • Metas claras:  Como já demostrado no artigo anterior sobre a metodologia OKR, um dos pontos dessas empresas e a clareza com os colaboradores do que é esperado deles, as metas geralmente são desafiadoras, contudo possíveis de serem alcançadas. Também faz parte o acompanhamento constante e a analisar o andamento das metas.
  • Reconhecimento: Premiar as atitudes positivas é uma constante nessas empresas, essas premiações não são necessariamente financeiras, elas ocorrem no dia a dia e com atitudes simples.
  • Cocriação e Senso de Coletividade: Unir pessoas de diferentes backgrounds e dar a voz a elas permite que as soluções sejam criadas de forma multilateral, os colaboradores se sentem parte dos processos das empresas.
  • Diversidade: Um time diverso é de extrema importância para o sucesso dessas empresas, permite que cada seja como é no trabalho e colabore com o seu conhecimento para o crescimento do negócio. Um ponto importante de vale destacar é: nessas empresas a diversidade não está apenas na contratação, mas também na criação de um ambiente para todos possam explorar as suas potencialidades.

E você, como a cultura da empresa permite que a inovação ocorra?  Deixe seu comentário….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *