Loading ...

Como Storytelling pode ser um diferencial na comunicação.

Storytelling é a arte de contar histórias, sendo conhecida como a mais antiga forma de passar conhecimento e mostra como enxergamos os fatos e formamos nossas ideias, nós somos resultados das histórias e com as interpretamos. As pessoas contam e acreditam em histórias que possuem valores semelhantes aos próprios valores, a nossa visão de mundo é na verdade uma junção de história e fatos que colecionamos. Por isso uma boa história é fundamental para criar empatia e disseminar a ideia de pertencimento.

Uma das vantagens de utilizar a técnica do storytelling é tornar o material único, pois mesmo que o tema já tenha sido abordado anteriormente, há a possibilidade de abordar através de uma perspectiva única: a sua.  Storytelling é a arte de contar histórias usando técnicas para transmitir informações e atingindo o público causando emoções tornando-as inesquecíveis, para tanto utiliza-se elementos específicos para atingir os objetivos, como: personagens; ambiente, conflito e mensagem. A técnica de storytelling pode ser traduzida através de uma formula de seis padrões que você pode seguir, adaptando cada situação para criar a sua histórica única.

Seguem abaixo seis técnicas que podem ser adaptadas para seus conteúdos e construir um conteúdo direcionado para o seu público:

  1. A JORNADA DO IDIOTA – A história do idiota tem como objetivo mostrar como qualquer pessoa poderia ter sucesso através de todos os erros que você cometeu no caminho ate chegar onde chegou. É uma história que se conecta bem com o publico porque, apesar de todos os erros cometidos ao longe do caminho, o objetivo foi alcançado. As cinco principais etapas desse tipo de história são:
  2. Comece falando sobre as dificuldades e a sua luta;
  3. Lembre-se de como era no início antes de você saber o que você não sabe;
  4. Seja autêntico e não tenha receio de mostrar seus erros e tropeços;
  5. Incentive os outros a fazer mais;
  6. Mas nem sempre foi assim e ponto de virada.
  • HERÓI POR ACIDENTE (OU HERÓI RELUTANTE) –  A história do herói por acidente é usada quando você praticamente cai de paraquedas para ensinar mais pessoas sobre uma habilidade que você tem, mas que nunca foi sua intenção.  Geralmente, esse herói também e relutante porque ele não tem a intenção de se tornar uma referência, mas a pressão e demanda e tão grande que ele precisa seguir esse caminho para o bem de todos. Um exemplo ótimo para esse tipo de história e o enredo do filme: Star Wars -O Último Jedi. As principais etapas desse tipo de história são:

1. Você tinha uns problemas e descobriu como resolvê-los.

2. Ajudou alguns amigos e eles espalharam a mensagem;

3. Muitas pessoas começaram a lhe pedir ajuda;

4. Você é uma pessoa comum, como elas e também apresenta falhas.

  • DO FRACASSO A FAMA – A história do fracasso a fama é parecida com a jornada do idiota, assim como a história do herói por acidente. Porém, você precisa ter um problema bem específico e, além de encontrar a solução dele, se tornar uma referência nesse assunto. Um tipo de história a ser contada seria uma pessoa que pavor de falar em público, estudou muito sobre o assunto e hoje é um palestrante renomado que ensina outras pessoas a perderem esse medo. As principais etapas desse tipo de história são:
  • Você tinha um problema específico;
  • Talvez até não era assim antes, mas algo no caminho aconteceu;
  • Você fez uma descoberta;
  • Essa descoberta revolucionou sua vida, mesmo você sendo uma pessoa comum;
  • Agora, quero como mostrar também pode sair do fracasso e ir para fama.
  • INIMIGO PÚBLICO COMUM – A história do inimigo comum é utilizada quando existe uma força opressora na sociedade e você será quem apontará o dedo para esse inimigo persuadindo novas pessoas a se juntarem nessa causa em prol do bem comum. Esse é um tipo de história que se conecta facilmente porque as pessoas adoram participar de grupos e ambientes polarizados. Para construir uma narrativa do estilo inimigo comum, são quatro etapas:

1. Se você não é um dos nossos, então você está contra nós;

2. Os segredos que eles não querem que você saiba;

3. Não é sua culpa;

4. Você tem a culpa, claramente não e um deles

  •  A JORNADA DO HERÓI – A jornada do herói é o principal tipo história dessa lista sendo muito utilizada nos filmes de Hollywood, e não só os filmes de heróis.  Um dos usos mais conhecidos foi Steven Spielberg no filme Avatar para a elaboração do roteiro, um filme que foi uma das maiores bilheterias da história. Ela provou sua importância muitas vezes explicando os sucessos de lendas e histórias milenares, como a Odisseia de Homero, Star Wars e Procurando Nemo. Ela é construída em cada detalhe para adicionar todos os elementos que você geralmente não observa em um filme, mas os sente vivamente através de fortes emoções. As sete principais desse tipo de história são:

1. Vida normal até que surge um chamado para aventura;

2. Resistência ao chamado.;

3 Encontra o mentor e aceita a missão;

4. Enfrenta diversos problemas e obstáculos;

5. Prepara-se para uma grande mudança;

6. Supera desafios;

7. O herói recebe a recompensa;

8. Retorna a vida normal;

9.  O herói está transformado e agora inspira os demais.

  • NÓS SOMOS PARECIDOS – A história “nós somos parecidos” é a mais simples dessa lista e busca uma conexão rápida com a pessoa. Ela busca reforçar a ideia de que o contador da história assim como quem a escuta são muitos parecidas e podem seguir juntos uma jornada de conhecimento. As quatro principais etapas desse tipo de história são:

1.Eu sou bastante parecido com você (eu entendo você);

2.Tenho os mesmos medos e sonhos;

3.Como eu encontrei a solução;

4.Porque eu decidi compartilhar a solução com todos.

Depois de ter uma visão dos tipos das técnicas de storytelling, surge o questionamento, como utilizá-la para melhorar a comunicação?

Particularmente acredito que pode ser utilizado em vários momentos desde uma apresentação em uma entrevista de emprego ou defendendo uma ideia para o seu chefe. Seguem abaixo alguns exemplos:

Em uma apresentação pessoal;

Criando empatia através da humanização da marca
Em um pitch de elevador
Construindo um relacionamento com clientes

Gostou do conteúdo, já conhecia as técnicas de storytelling? Então, comenta aqui embaixo e dê a sua opinião:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *